Buscar

Do papel para o compensado naval...

Até aqui não tivemos nenhuma dificuldade. Projeto feito e testado virtualmente, cavername impresso, colado e cortado vamos por a mão na massa. Com todos os moldes em mãos é hora de por a tico-tico (ou uma serra de fita) para funcionar. Para não ter que riscar molde por molde achei mais fácil colar o modelo na prancha de compensado naval (no meu caso uma de 15 mm), esperar secar e depois ir cortando com cuidado. Neste momento pedi ajuda para uma mãozinha amiga uma vez que minha mãe teria um ataque cardíaco se me visse manuseando uma serra, função esta que sobrou para meu pai. EPI's utilizados (óculos e luvas) o corte foi realizado facilmente com o auxilio dos moldes.


Depois de prontos foram lixados mas laterais com esmero para que não restassem arestas ou farpas e colocados individualmente na bancada já nas posições e distancia recomendadas no projeto.

Para esta bancada utilizei uma peça de madeira de 10 centímetros de largura e 3,50 metros de comprimento, reta e alinhada. Para a fixação das peças utilizei ripas de 15 centimetros aparafusadas no corpo principal da madeira e coladas após o alinhamento da "quilha". Este alinhamento é importante para a distribuição correta do peso e evitar que a embarcação fique pensa para um dos lados. Agora é a hora de ir as compras. Qual madeira usar e qual método de construção utilizar... Dúvidas, dúvidas, dúvidas. Mas isso é assunto para o próximo post. Me siga e até lá!

2 visualizações
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now